segunda-feira, 24 de abril de 2017

A partir do Paumanok

"Sou eu que misturo o invisível e o visível,
Misterioso oceano para onde correm os rios,
Profético espírito da matéria que se move e me abraça,
Seres vivos, identidades tão perto de nós e no ar sem que as conheçamos,
Contacto diário e permanente do qual não me posso libertar,
Estes são os que escolho, estes são os que se insinuam e me procuram."

Walt Whitman  em "Folhas de Erva"

domingo, 23 de abril de 2017

terça-feira, 18 de abril de 2017

Da Poesia

"Nalguns versos habita a solidão
mais nua e mais deserta da surpresa,
amor que vem parar à nossa mão
como se ao predador viesse a presa.
Mas outras vezes dura mal no tempo
a paixão que no tempo foi acesa:
e andam folhas a rodar no vento
com versos que sobraram de uma vida
e não duram no verso ou sentimento
mais do que restos de paixão antiga.
Nalguns versos se faz a solidão,
mas noutros levantamos contra a vida
o que rasa as palavras da paixão
e só no fim sabemos que é poesia."
 
Luís Filipe Castro Mendes  em "Outras Canções" (1998)

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Mapa natal de Amadeo feito por Fernando Pessoa 😊


A Bordo, No Mar Alto

"A bordo, no mar alto,
Com todo o infinito azul à volta,
Com os sibilantes ventos e a música das ondas, as grandes, imperiosas
ondas,
Ou com algum solitário barco flutuando na densidade marinha,
Onde jubiloso e cheio de fé iça as velas brancas,
Abrindo caminho entre o fulgor e a espuma do dia, ou debaixo de inúmeras
estrelas pela noite,
Talvez por muitos jovens ou velhos marinheiros que recordam a terra
serei lido,
Finalmente em total comunhão.
 
Eis os nossos pensamentos, pensamentos de viajantes.
Eis não só a terra, a terra firme, poderão então dizer,
Eis o céu e as suas cúpulas, e sob os nossos pés o convés balançando,
Sentimos o longo pulsar, o fluxo e o refluxo de um eterno movimento,
Os tons de um mistério invisível, as vagas e vastas sugestões do salobre mundo,
as líquidas e fluidas sílabas,
O cheiro, o débil rangido do cordame, o ritmo melancólico,
A infinita paisagem e o horizonte difuso e distante aqui estão,
E este é o poema do oceano."

Walt Whitman  em "Folhas de Erva"

José González - Cycling Trivialities


Depois da Vida


domingo, 16 de abril de 2017

Madame Bovary C'est Moi

"Onde se perde o teu olhar vadio?
Nestes livros, nas flores, na manhã?
Acordas no poema um estranho brilho
e guarda-lo num verso de amanhã.
 
Versos como essas flores apodrecidas
que juntas num herbário pueril,
versos que na memória adormecida
gota a gota dão eco senil.
 
Só quem nada mais crê, nada mais sabe
e de nada mais ter ama a beleza
enfrenta a liberdade que lhe cabe
como mais um talher posto na mesa."

Luís Filipe Castro Mendes  em "Viagem de Inverno" (1993)

Mandala de 08 pontas


Einar Már Gudmundsson


sábado, 8 de abril de 2017

A partir do Paumanok

"Não escreverei poemas que se refiram a partículas,
Mas poemas, cantos, pensamentos que se refiram ao todo,
E não cantarei como referência a um dia mas a todos os dias,
E não farei nenhum poema, nenhum verso que não se refira à alma,
Pois, tendo observado os objectos do universo, sei que não há nenhum
nem nenhuma partícula que não se refira à Alma."

Walt Whitman  em "Folhas de Erva"

"Isto filhos, a poesia e a cozinha são irmãs." (VII)

 
Wrap de feijão vermelho e legumes assados com mostarda vegana. Mousse de batata doce e figos com pezinhos de coentros e tomate seco. Arroz basmati aromático com sementes de abóbora. Guacamole e paté de beringelas. 💗😋😋💗